home

quinta-feira, 31 de março de 2011

melancolia

Às vezes nada faz sentido, como ver um filme de amor e não chorar. A vida corrobora a edificação do sentimento que temos contrário ao nosso espírito. Nada é mais sem importância para o mundo do que chorar sozinho e nada é mais sem razão do que escrever ao acaso. Mas as ações todas que ora fazemos e são incompreensíveis é o que nos torna humanos. Na insabidade que escurece a alma, cai a noite sobre nossa vista e já não há mais possibilidade de pensar com claridade.

Duvido como quem sofre de um mal estar na barriga e me entristeço como se fosse a única pessoa da Terra a chorar. Os dias passam e não consigo entender o mistério que já nos foi revelado anteriormente; tão antes de mim e das coisas que ninguém sabe de quando veio.

Alheio a vontade da alma, só escrevo para passar o tempo. Mas escrevendo me aborreço pela minha falta de talento para escrita e se paro de escrever, então sofro do contrário do que é o momento mais feliz que tenho em mim. Enfim, escrevo para me maltratar e se não o faço fico me martirizando por achar, pretensiosamente, que poderia aproveitar meu pouco tempo de lazer, onde gasto praticamente todas as minhas horas em comiseração, a escrever a grande obra da minha vida.

E como me falta, além do talento, a aptidão para ser mais alguma coisa do que sou, só posso preencher o papel com essas pobres linhas que a neurose presenteia a alma. — Coisa que qualquer paciente de consultório de psicologia poderia fazer durante horas sem gastar um neurônio sequer!

Dá-se então que tudo aquilo que digo, ou penso, ou escrevo é um exercício mental que me cansa e não tem utilidade nenhuma a não ser mediar o interlúdio entre minha insônia e meu sono.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

designamente: considerações sobre design thinking

O ciclo de palestras que ocorreu no sábado, dia 15 de janeiro, no DesigNamente foi um evento interessantíssimo. Abriu espaço para pensar o Design e principalmente deu início a um lugar para reflexão de ideias, conceitos e pensamentos sobre os caminhos da Comunicação. Cada palestra trouxe um assunto rico com uma abordagem própria, suscitando uma curiosidade nova para os que lá estiveram.

Foi instigante rever conceitos e voltar aos livros; sentir-se provocado e repensar convicções, abrir a mente para novas maneiras de olhar sobre um mesmo assunto. Afinal, seja publicidade, design, propaganda, marketing, administração e outras profissões da área humana e social, estamos conectados de alguma forma. E o objetivo e sempre o mesmo: o outro.

Como sugestão de um dos palestrantes, ensaiei alguns caminhos para reflexão. Penso que, o Design, por ser ainda um assunto de estudo contemporâneo, ele passa por um momento antropofágico. E, por isso, vem engolindo definições, conceitos e, principalmente, outras profissões, na tentativa de se encontrar no mundo. Creio que esse movimento abre dois caminhos antagônicos e que podem encontrar, finalmente, uma definição na síntese dessas direções.

O ponto primeiro é que falta ao Design lugar: é Arte? É Comunicação? É Arquitetura? É Marketing?. Isso o torna confuso, pois sendo todas essas coisas não é possível ser nenhuma delas.

O segundo ponto (positivo) é que, por conta desta constante tentativa de se encontrar, o Design está mais próximo do Novo. Sendo o ponto de partida da descoberta, do desejo e da necessidade do mundo em que vivemos.

Talvez, o Design seja esta dialética de forças que se chocam e criam novos horizontes.

Para mim, o importante mesmo é saber como o Design pode me ajudar na construção do meu trabalho e no cotidiano em que vivo. Antes de "o que é design?", pergunto-me "design para quê e por quê?". Seja como for, essa reflexão foi uma das muitas vertentes que tiveram no evento.

Valeu pela experiência, que venham mais palestras para aprender.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

da vaidade

A vaidade só é morta na carne. E talvez no espírito, se tal coisa acaba depois que daqui partirmos. Mas, sem dúvida, dura mais que o nosso tempo. No silêncio da cova jaz nosso corpo, porém nossa vaidade grita desesperadamente ao infinito.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

lista de material escolar do meu filho de 1 ano e 10 meses

material coletivo (OU SEJA: VOCÊ COMPRA PARA O SEU FILHO, PARA OUTRO USAR)

giz de cera faber castell - 1 (... E TEM QUE SER DE MARCA!)
caneta hidrocor 12 cores ponta grossa - 1 (TUDO QUE TEM NOME BONITO É CARO PRA CARALHO!)
cola colorida acrilex - caixa com 6 cores - 2 (PORRA, COLA NÃO É PRA COLAR, COR PRA QUÊ?
cola glitter acrilex - caixa com 6 cores - 1 (GLITTER? AH, VIADAGEM DO CARALHO!)
pote de tinta guache acrilex 500ml - 2 (QUE NEM O MEU DINHEIRO: VAI EMBORA IGUAL ÁGUA!)
pote de massinha soft 500g - 2 (POTES. ELES COLOCAM A QUANTIDADE DEPOIS PRA PICA SER MENOR...)
potinhos de glitter amarelo - 2 (... A LISTA JÁ É UMA PICA! - OLHA A VIADAGEM DO GLITTER AÍ DE NOVO)
tubo de cola branca bic 90g - 3 (AH, VAI GASTAR COLA ASSIM NA CASA DO CARALHO!)
rolo de durex colorido azul - 1 (QUE MANIA DE COLOCAR COR EM TUDO. DUREX É PRA COLAR, PORRA !)
rolo de fita goma transparente - 1 (AH, AGORA SIM, PRA COLAR... MAS O AZUL DEVE SER PRA ENFIAR NO CU!)
cola relevo - 2 (QUE PORRA É ESSA?)
tnt amarelo - 2 metros (A ÚNICA COISA QUE SEI QUE É BARATA. LEMBRANÇA DOS TEMPOS DE TEATRO INFANTIL)
placas eva amarelo - 4 (NESSE PONTO DA LISTA FICO PENSANDO: MEU FILHO VAI USAR TUDO ISSO?)
tesoura (amarela) com corte ponta redonda - 1 (O ÚNICO PEDIDO SIMPLES DA LISTA)
pincel número 8 quadrado - 1 (NÃO É QUALQUER UM NÃO, É O NÚMERO 8)
pincel batedor - 1 (É PRA PINTAR OU É PRA BATER? - AH, TÁ, BATER NA CABEÇA DOS COLEGUINHAS)
trincha - 1 (PORRA, MEU FILHO VAI ESTUDAR OU VAI SER PINTOR?)
pincel rolinho (espuma) - 1 (ACHO QUE AS PROFESSORAS ESTÃO USANDO MEU FILHO PARA FAZER A REFORMA DA ESCOLA)
saco plástico sem furos tamanho ofício - 15 (ONDE ISSO VAI SER USADO?)
lixa - 10 (DEFINITIVAMENTE, ESTÃO USANDO O MEU FILHO PARA FAZER TRABALHO-ESCRAVO!)
saco de penas coloridas - 1 (IH, CARALHO, LÁ VEM A VIADAGEM DE NOVO!)
saquinho de lantejolas - 1 (PQP! É UMA ESCOLA OU UM DESFILE DE MODA?)
jogo pedagógico apropriado para a idade - 1 (O ÚNICO JOGO QUE O MEU FILHO CONHECE É "DESTRUIR AS COISAS)
livro infantil - 1 (PORRA, MEU FILHO SÓ TEM 1 ANO, AINDA NÃO SABE LER!)
caderno de desenho grande 96 fls sem pauta espiral - 2 (96 FLS? EM CASA ELE DESENHA EM 01 FOLHA DESDE QUE NASCEU E NUNCA RECLAMOU)
pasta plástica de trilho amarela - 1 (É PARA COLOCAR OS "TRABALHOS" DAS CRIANÇAS)
pasta plástica de canaleta - 1 (PORRA, MAS JÁ NÃO PEDIU UMA PASTA?)
blocos colorset - 3 (MAS JÁ NÃO TÊM UMA PORRADA DE FOLHAS PARA DESENHAR?)
resma de papel 500 fls A4 - 1 (AH, CARALHO, É PRO MEU FILHO ESTUDAR OU ABRIR UMA FÁBRICA DE PAPEL?
pacote de 100 fls de sulfite colorido - 1 (COLORIDO ESTOU EU: VERMELHO DE RAIVA!)
cartolina branca - 9 (EU VOU GUARDAR A LISTA, ELES VÃO VER. VOU CONTAR AS NOVE DE VOLTA)
papel crepom - 6 (E A FESTA DO PAPEL NÃO ACABA!)
papel camurça colorido - 2 (A VIADAGEM TAMBÉM NÃO!)
papel camurça preto - 4 (AH, POR QUE PRETO NÃO É COR?)
papel 40kg branca - 5 (40KG? SE ESSA PORRA CAIR EM CIMA DO MEU FILHO VAI MACHUCAR)
papel 40kg colorido - 3 (PAPEL... DE NOVO. ESTOU RINDO DE DESESPERO, SORRISO AMARELO)
envelope branco tamanho ofício - 20 (CLARO, TANTOS TRABALHOS, TANTAS TAREFAS E DOCUMENTOS PARA UMA CRIANÇA DE 1 ANO)
saco perfex - 1 (QUE É? MEU FILHO AGORA VAI LAVAR LOUÇA TAMBÉM?)
refil grosso cola quente - 6 (MAIS COLA?)
pacote copinho café - 1 (AGORA EU JÁ SEI DE ONDE VEM O NOSSO VÍCIO DE CAFÉ, COMEÇA NA ESCOLA!)
pacote com 100 copos plásticos 200ml - 2 (MAIS UMA VEZ O TRUQUE DA QUANTIDADE. SÃO 200 COPOS)
caixa de lenço umedecido - 1 (VOU APROVEITAR E COMPRAR UMA CAIXA PRA MIM TAMBÉM, DEPOIS DESSA LISTA, SÓ CHORANDO)
sabonete liquido - 1 (ESSE DEVE SER O MEU PRESENTE DE FIM DE ANO, VEM JUNTO COM UM NEGÃO E UM QUARTO ESCURO)

material de uso pessoal (PENSA QUE ACABOU?)

escova de dentes - 1 (MEU FILHO TEM UM ANO, TEM DENTE DE LEITE, VAI CAIR AQUELA MERDA)
creme dental - 1 (POR ISSO, AS PROFESSORAS TÊM SEMPRE AQUELE SORRISO BONITO)
camisa amarela (tamanho para adulto avental) - 1 (OH, QUANTA COISA A GENTE COMPRA PRAS TIAS, TADINHAS, NÉ?)
copo plástico amarelo com tampa - 1 (ENTÃO AQUELA PORRADA DE COPO PLÁSTICO DA LISTA ACIMA NÃO É PARA O MEU FILHO BEBER ÁGUA?)
toalha de mão amarela (lanche) - 1 (MAS EU JÁ NÃO VOU COMPRAR PERFEX, AVENTAL, LENÇO DISSO E DAQUILO?)
saco de tnt amarelo tamanho ofício - 1 (PORRA, TEM 02 METROS NO ITEM ACIMA, DÁ PARA FAZER UM SACO E FORRAR O SACO INTEIRO!)

uso pessoal integral - (e a lista não acaba...)

lenço pequeno - 1 (FICA TRANQUILO, FILHO, PAPAI VAI DIVIDE OS DELE COM VOCÊ)
toalha de banho - 1 (MAS JÁ NÃO PEDIRAM TOALHA NO ITEM ACIMA?
shampoo - 1 (MEU FILHO TEM 3 FIOS CABELO)
condicionador - 1 (NEM 3, 2, EU ACHO)
sabonete com saboneteira amarela - 1 (JÁ ME SINTO O INDIANA JONES: PROCURAR UMA SABONETEIRA AMARELA)
escova de cabelos - 1 (PRESENTE PRA PROFESSORA)
muda de roupas - 1 (TEM MATERIAL PRA UMAS DEZ GERAÇÕES ESTUDAREM, MAS O MEU FILHO SÓ TEM DIREITO A 01 MUDA DE ROUPAS!)
cueca - 1 (E O COCÔ DOS OUTROS 364 DIAS DO ANO?)
par de meias - 1 (ESSA PARTE DA LISTA DEVE SER DE SACANAGEM. AS PROFESSORAS DEVEM CHORAR DE RIR DOS PAIS, SENTADAS NUMA SALINHA)
elástico de cabelos (meninas) - 1 (FODA-SE QUE O MEU FILHO É MENINO! JÁ COMPREI GLITTER, LANTEJOULA E CARALHO! O QUE É UM LAÇO PRA QUEM JÁ ESTÁ TODO ENDIVIDADO?)

Entrega do material coletivo: 01/02/2011
Início das aulas: 7 de fevereiro

A operação para extração dos meus órgãos já está marcada para a próxima semana e a minha casa será vendida no próximo mês - antes das aulas começarem, claro! Aos amigos, deixo um apelo para adotar o meu filho quando chegar o período da Universidade. Já consegui entre os familiares o patrocínio dos próximos anos: ano que vem morre minha mulher e nos seguintes pai, mãe, tia etc. Beijo a todos. Sucesso na sua vida escolar, meu filho!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

fênix

Morre hoje o meu tempo, minha vida e minha inércia perante a tudo. A dúvida, a neurose, a preguiça e eu, meu maior inimigo, já não estamos mais aqui. Não posso mais simplesmente ficar alheio às coisas que acontecem ao meu redor e passivamente contar os dias.

O dia é hoje, a hora é agora e está mensagem é só para mim. Qual pássaro em meio ao fogo, que se queimem todas as minhas fraquezas, mas não o meu passado. Meus ferimentos e meu fardo são pesados, mas têm tamanho suficiente para que eu os carregue. Levo-os junto de mim para uma nova estrada dentro deste novo ser humano que renasce neste corpo já usado há trinta e três anos.

A partir desta nova jornada, crio esperanças. Tenho gana em ser mais do que razão e pensamento lógico: a era do raciocínio já morreu, acabou nos primeiros parágrafos. É hora de invocar Dionísio e chamá-lo às ruas desta nova cidade que se ergue dentro do peito.

Um lugar mais vivo, com mais ação, erros e sem medo de estar vivo.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

o número 8

Como sou um contador de histórias e a preguiça anda comandando minhas ideias, decidi escrever sobre uma coisa que não me sai da cabeça: o número 8. Assim mesmo 8, sem a ideia por extenso. Por isso, após um longo tempo de reflexão (entre um job e outro aqui no trabalho), eis minha conclusão sobre o algarismo:

Boas formas, composta de dois olhos, diria simétricos, bem servido de curvas, altura mediana, melancólico e tem bela figura. Assim é o número oito, cuja imagem me intriga e expõem todas as minhas neuroses.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

devagar

Não exitarei em ir devagar. Sim, eu tenho medo de falhar, e errar, e perder. Mas manterei a calma. Não abandonarei o escritório, pois isso seria fugir da minha condição de luta. Trabalharei mais leve, sereno e decidido a encontrar respostas que sejam eficazes. E não sair em busca do impossível, pois tudo é possível e o impossível não existe.

Gradativamente, irei encontrar o caminho que venho procurando em contrapartida com o estado agudo de hiperatividade que domina o mundo. Erguerei um templo ao meu redor para defender minha condição de tranquilidade, seja qual for o preço que isso pode ter. Caminharei nas ruas a olhar pessoas, lugares e com a imprevisibilidade de quem anda a esmo, recebendo da sorte um pote de ouro no fim do arco-íris.

Serei o rio enquanto todos seguem para o mar. Se alguma coisa tiver que ser feita, que seja feita lentamente. A humanidade não pode esperar, o mundo não pode esperar, o tempo, a vida... eu posso.